Gastrite Atrófica Autoimune

Introdução a doenças gastrointestinais autoimunes

O trato digestório apresenta um desafio peculiar à imunidade- uma proximidade estreita a milhões de micro-organismos. Neste módulo, trataremos do sistema imune especializado que opera no sistema no tubo digestório, mais especificamente quando há falhas nesse sistema- o que gera doenças autoimunes e inflamatórias.

Gastrite

Define-se genericamente o termo gastrite como sendo um processo inflamatório da mucosa gástrica. Essa inflamação desenvolve-se como uma resposta normal do organismo quando ocorre uma agressão à sua integridade. Entretanto, essa resposta normal pode levar ao desenvolvimento de sinais e sintomas característicos dessa doença. Pode ser evidenciada essencialmente pelo exame microscópico, podendo em outras ocasiões ser evidenciado pelo exame endoscópico.

dor-no-est_1355624355523

Im.1.Dor Abdominal, um dos sintomas da gastrite

Gastrite Atrófica Autoimune

A gastrite atrófica autoimune é pouco frequente, mas merece atenção especial pelas complicações que podem advir. Grande parte dos portadores deste tipo de gastrite apresenta anticorpo anti-célula parietal que pode desempenhar papel importante na destruição das células parietais gástricas. Caracteriza-se por uma atrofia das glândulas do corpo e fundo gástrico, hipocloridria, hipergastrinemia, deficiência do fator intrínseco e, consequentemente, deficiência de vitamina B12. Pode ser assintomática do ponto de vista gastrointestinal, podendo apresentar-se como um quadro de anemia e neuropatia por deficiência de vitamina B12.

Gastritis-ATROFICA

Im.2.Estômago com Gastrite Atrófica

Sintomas

A sintomatologia da Gastrite Atrófica é ampla, podendo apresentar indigestão, refluxo ácido, dor abdominal superior, gases frequentes, saciedade precoce ou falta de apetite e perda de peso. Náuseas e vômitos podem às vezes ser um sinal de gastrite atrófica. Se a gastrite levar à formação de úlceras gástricas hemorrágicas, pode haver eliminação de sangue digerido, nas fezes (que ficam escuras) ou nos vômitos.

Diagnóstico

Os valores apresentados pelo exame hematócrito de hemoglobina e contagem de glóbulos vermelhos são geralmente baixos, e o volume corpuscular médio (VCM) é superior a 90 fL. Outros testes estão representados na detecção de anticorpos contra células parietais (PCA, positivo em cerca de 50-86% dos casos) e os anticorpos do factor intrínseco (IFA positivos em cerca de 1-3% dos casos). Ao exame endoscópico verifica-se redução das pregas mucosas de corpo e fundo que correspondem à atrofia glandular visualizada por meio de exame histopatológico. Os médicos também podem remover uma biópsia de tecido do estômago para conseguir um olhar mais atento. Os pacientes com gastrite atrófica invariavelmente desenvolvem áreas de metaplasia do tipo intestinal ou pilórica e apresentam risco de desenvolver neoplasia gástrica em três a cinco vezes superior aos indivíduos-controle.

Video.1.Endoscopia com detecção de gastrite atrófica

Como Ocorre

padrao63

Im.3.Foto camadas do estomago
A Gastrite Atrófica é uma doença autoimune associada com anticorpos contra células chefes que libertam precursores de enzimas, células do estômago que segregam ácido gástrico e fatores intrínsecos (glicoproteínas necessárias para digerir a vitamina B12), ou seja, anticorpos anti-HLA-A3, anti-HLA-B7, anti-HLA-DR2 e anti-HLA-DR4. A degradação destas células causa atrofia das glândulas gástricas e, consequentemente, acloridria – ausência de ácido clorídrico no estômago- e produção reduzida de fator intrínseco. Os sintomas são: indigestão e deficiência crônica de vitamina B12. As análises hematológicas revelam anemia macrocítica hipercrômica e granulócitos hipersegmentados. A acloridria causa hipergastrinemia (excesso de gastrina, o hormônio que estimula a secreção de ácido gástrico), e o teste de pentagastrina (presença do hormônio gastrina) é positivo.

Video.2.Endoscopia

Tratamento

A gastrite atrófica não tem cura, mas vários medicamentos estão disponíveis para aliviar os sintomas, incluindo antiácidos, inibidores da bomba de prótons ou bloqueadores de histamina. Como a gastrite atrófica acabará por levar a uma deficiência de vitamina B12, os pacientes necessitam de injeções. O tratamento é eminentemente de suporte, com reposição de vitamina B12 e seguimento periódico destes doentes para rastrear neoplasia gástrica.

Os medicamentos utilizados para melhora sintomática podem atuar melhorando o esvaziamento gástrico ou reduzindo a secreção de ácido. Os que melhoram o esvaziamento gástrico são os chamados pró-cinéticos, que reduzem o êxtase alimentar no estômago e auxiliam na digestão, como por exemplo, a metoclopramida e a bromoprida.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

http://www.blogdofortuci.com.br/blog/?p=221

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/gastrite/gastrite-5.php

http://pozemedicale.org/Portugal/Doencas_Digestivas/Gastrite_atrofica-fotos.html

http://it.wikipedia.org/wiki/Gastrite_cronica_atrofica_autoimmune

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s